Rede Nacional de Áreas de Demonstração Ligadas à Temática da Desertificação

Filtros seleccionados

Apagar seleção

Voltar atrás
Uso
Região
Unidade de Paisagem

Sobre

A Rede Nacional de Áreas de Demonstração Ligadas à Temática da Desertificação procura unir e articular esforços institucionais com o mesmo objectivo. O estudo da desertificação em Portugal já conta com mais de três décadas e tem bem definidos o conjunto de causas, efeitos, diagnóstico e formas de combate. No entanto, para que esse combate seja eficaz e efectivo, tendo em conta que as áreas susceptíveis à desertificação são vastas e o seu agravamento uma realidade em cenário de alterações climáticas, é necessário munir a sociedade com conhecimento e as estruturas de poder democraticamente eleitas com possibilidades de acção prática.

Principais eixos temáticos
1. Uso/Ocupação do Solo
Diferentes tipologias de uso e ocupação do solo são afectadas de forma diferente pelo fenómeno da desertificação, pelo que as metodologias de diagnóstico e combate são diferenciadas. Nos centros de demonstração/investigação, é comum haver uma tipologia mais comum ou à qual é dada maior ou total importância. Esta diferenciação poderá ter a ver com as características ambientais do local onde se insere, ou dos interesses/necessidades de investigação da instituição em causa

2. Práticas de Gestão
Outro factor diferenciador nos efeitos e impactos da desertificação no território. O estudo de determinadas práticas de gestão pode ser um factor importante no combate à desertificação. A articulação de conhecimento dos efeitos de diferentes práticas de gestão pode ser facilitada e potenciada, contribuindo positivamente para a investigação, conhecimento científico e, por fim, em práticas de gestão do território

3. Erosão
Uma das manifestações da desertificação é, precisamente, a erosão agravada. Por esse motivo, os centros experimentais de erosão são um elo fundamental nesta rede, uma vez que neles pode estar a ligação entre as tipologias de uso/ocupação/gestão do solo e os efeitos da desertificação. Dois bons exemplos são o Centro Experimental de Erosão de Vale Formoso, com talhões experimentais onde se estuda a influência de tipos de ocupação do solo e rotações de culturas na perda de solo por erosão hídrica, ou o Centro Experimental de Erosão do Pinhão, onde se estuda o fenómeno da erosão do solo em vinha

4. Recursos Genéticos e Biodiversidade
A degradação de recursos genéticos e perda de biodiversidade é um dos efeitos da desertificação agravada. Instituições/centros que estudem estas temáticas podem revelar-se fundamentais para o estudo de medidas de mitigação e adaptação a este fenómeno

5. Alterações Climáticas
Tendo em conta o seu efeito no agravamento quer das causas, quer dos efeitos da desertificação, é fundamental articular as instituições/centros dedicados ao seu estudo, de forma a munir a investigação e combate à desertificação com ferramentas de conhecimento que permitam acautelar o futuro a médio-longo prazo, na definição de medidas de mitigação e adaptação quer à desertificação, quer às alterações climáticas.

Design: Catarina Monteiro
Implementação: Miguel Rocha